• Até 7 dias para devolver a compra
  • Em até 6x sem juros no cartão
0
Seu carrinho está vazio

MUDA CEDRO ROSA (Cedrela Fissilis) Nativa

Cedr-RosNa
de R$ 28,00 por
R$ 18,99
no cartão em até 3x de R$ 6,33 sem juros
Pagamento no Pix
R$ 18,04
-36%
no PIX
Garantia: 6 meses
+ Veja mais produtos da marca Dancruz
Calcule o frete
Não sei o meu CEP
Produto indisponível!Podemos avisar você quando estiver disponível?

Descrição do produto

MUDA CEDRO ROSA (Cedrela fissilis) Nativa
TAMANHO DAS MUDAS 20 A 40 CM


Arvore ornamental, utilizada na arborização urbana e rural. Conhecida por produzir fragrância aromática.


Nome popular: Cedro Rosa

Nome científico: Cedrela fissilis

Família: Meliaceae

Origem: Ocorre principalmente nas florestas semidecíduas e pluvial atlântica do Rio Grande do Sul até Minas Gerais.

Ciclo de vida: Perene

Folha: As folhas são compostas, medindo entre 25 a 45 cm, muito variáveis quanto à forma, com 8 a 30 pares de folíolos oblongo-lanceolados a oval-lanceolados (Lorenzi, 1992). A alta densidade estomática nas folhas, muito maior que em outros gêneros das Meliaceae, é também uma característica muito peculiar do cedro (Piratininga-Azevedo,1999).

Crescimento da planta: O desenvolvimento das plantas no campo é bastante rápido, podendo atingir 3,5 m de altura aos 2 anos. O cedro é uma árvore caducifólia, com altura variando entre 10 e 25m e DAP (diâmetro à altura do peito), entre 40 e 80cm. Apresenta tronco reto ou pouco tortuoso, com fuste de até 15m. A copa é alta e em forma de corimbo, o que a torna muito típica.

Quando da frutos: Frutos maduros em Julho

Frutos: Os frutos são cápsulas em forma de pêra, deiscentes, sendo que parte dos carpelos permanecem no eixo do fruto após a deiscência. Os frutos apresentam cinco valvas longitudinais (que se abrem por ocasião da deiscência), lenhosas, ásperas, de coloração marrom, com lenticelas claras e alojam de 30 a 100 sementes viáveis. A floração e a frutificação, que se iniciam entre dez e quinze anos após o plantio.

Quando da flores: Floresce em Setembro

Flores: As flores são brancas, com tons levemente esverdeados e ápice rosado; também são pequenas, agrupadas em tirsos axilares de 30 cm, na média, sendo que as masculinas são mais alongadas que as femininas. A floração e a frutificação, que se iniciam entre dez e quinze anos após o plantio.

Como adubar essa planta: ➜ No plantio recomenda-se usar 15 litros de esterco de curral ou de composto orgânico; ou 5 litros de esterco de galinha já curtido, mais 150 gramas de superfosfato misturados na terra retirada dos primeiros 20 centímetros da cova. Essa mistura deverá ir para o fundo da cova. ➜ Para manutenção utilizar fertilizantes orgânicos ou adubo NPK 10-10-10.

Como regar essa planta: Durante o primeiro ano regá-la pelo menos duas vezes por semana, com 5 litros de água para cada rega.

Vai em qual clima: temperado úmido, subtropical úmido, subtropical de altitude e tropical

Nativa de qual clima: Tropical

Aceita poda? - Como a desrama natural é ineficiente, necessita de podas de galhos e de condução freqüentes e periódicas e, quando se tratar de indivíduos atacados pela broca-do-cedro, deve-se proceder com podas corretivas anuais durante os três primeiros anos (Carvalho, 1994).

Vai na sombra? - Sombra


Pragas: A broca-do-cedro (Hypsipyla grandella Zeller) é a praga mais importante para essa espécie, constituindo fator limitante para seu cultivo, pois ainda não foi encontrada uma solução eficaz para o controle da praga. Os ataques ocorrem em viveiros, plantios ou regeneração natural, danificando as gemas apicais, levando ao desenvolvimento arbustiforme ou mesmo matando a planta. De modo geral, os sucessivos ataques aos ponteiros paralisam o desenvolvimento do cedro. O controle da broca-do-cedro é muito difícil, mas pode-se tentar a combinação dos seguintes métodos: físico (armadilha luminosa no início da estação chuvosa), cultural (eliminação das mudas atacadas no viveiro, poda dos ramos atacados no campo e evitar plantios puros a pleno sol) e biológico (utilizar parasitóides de ovos e lagartas, Trichogramma sp e Hypomicrogaster hypsipylae, respectivamente). Também podem ser utilizados alguns produtos à base de Metarhizium anisopliae, Beauveria bassiana e Bacillus thuringiensis, desde que aplicados antes que as lagartas penetrem nos ramos (Gallo et al., 2002). São citadas na literatura outras pragas menos importantes, tais como ácaros, o coleóptero Oncideres dejeani, o lepidóptero Antaeotricha dissimilis, a coleobroca Diploschema rotundicolle, o homóptero Freysuila sp e besouros da Família Scolytidae.

Sem Avaliações

Seja a primeira pessoa a avaliar este produto!

Sua avaliação vai ajudar muitas pessoas que desejam saber mais detalhes deste item. Em 2 minutinhos você consegue descrever e mostrar fotos do produto!

Aceite os cookies e tenha uma melhor experiência em nosso site, consulte nossa Política de Privacidade.